“Come que te curas”: um compromisso com a segurança alimentar e a saúde na Cordilheira dos Andes


bookmark_border Favoritos

A região de Boyacá (Colômbia) é uma das mais importantes do país em termos produção de alimentos como frutas, verduras, cereais, carnes e leite. No entanto, apesar da tradição agrícola e pecuária, a região também apresenta alta incidência de desnutrição e doenças cardiovasculares. Qual será a principal causa dessas doenças? O que pode ser feito para mitigar esse problema?



share Compartilhar expand_more

Agricultor colhendo cebola nas margens da Lagoa de Tota, na região de Boyacá, Colômbia.

O estado de Boyacá, por sua privilegiada localização geográfica no centro-leste da Colômbia, possui uma grande variedade de ecossistemas ao qual está associada a uma vasta diversidade de recursos hídricos, flora, fauna e cultural. Sua localização na cordilheira de Los Andes, desde o topo da cordilheira oriental, passando pelo vale do rio Magdalena até a planície oriental, favorece a pecuária e o cultivo de diversos produtos agrícolas, razão pela qual é reconhecida como uma das maiores “despensas de alimentos do país”1.

Mapa 1.

A agricultura é praticada principalmente por camponeses, com uma economia rural de baixo impacto, amplamente distribuída em pequenas extensões de terra. Nesses sítios é cultivado um grande número de produtos agrícolas, entre os quais se destacam tubérculos, cacau, hortaliças, frutíferas, café, cana-de-açúcar, quinoa e cereais. Especificamente, a cadeia de horticultura do estado de Boyacá é a mais importante do país, sendo a cebola de bulbo e a cebola de rama as mais plantadas e colhidas. Quanto às frutíferas, possui o maior número de espécies cultivadas, com destaque para os cítricos, amora, abacate, tomate-de-árvore e goiaba. Além disso, o estado de Boyacá é o primeiro na produção nacional de árvores decíduas, como pêssegos, maçãs, peras e ameixas1.

Produtos

A pecuária também é muito importante para a economia do estado1. A pecuária ocupa o primeiro lugar com aproximadamente 900.000 animais destinados à exploração especializada ou de dupla finalidade (carne e laticínios). A produção de leite é estimada em mais de 1.900.000 litros por dia, sendo esta uma das principais fontes de renda dos produtores junto com todos os seus derivados. Como alternativa, a ovinocultura, com alta produtividade na região, é tradicionalmente utilizada para produção de carne, leite e lã. Além disso, o estado de Boyacá é o primeiro produtor de truta arco-íris do país, colhendo o equivalente a 25% do total nacional até 20161.

Área rural de Guicán, Boyacá, Colômbia

É paradoxal que, em uma área com abundantes recursos naturais e tradição agrícola milenar, haja uma alta incidência de desnutrição e subnutrição2. Da mesma forma, aumentaram na região as taxas de mortalidade e morbidade associadas às doenças não transmissíveis relacionadas à má alimentação, como hipertensão, doenças cardiovasculares, diabetes mellitus e alguns tipos de câncer3.

Nesse sentido, para a manutenção de uma boa saúde e prevenção das condições acima mencionadas, uma alimentação saudável e sustentável é de extrema importância4. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), isso pode ser alcançado através do consumo de alimentos variados e pouco processados, seguros, sem patógenos ou toxinas, e que incluem água potável limpa e segura. Assim, com o desafio científico de promover a segurança alimentar nas populações rurais do departamento, o grupo de pesquisa Denominaciones de Origen, Terroir y Zonificación - DOTEZ, da Fundação Universitária Juan de Castellanos, propôs fazer uma aproximação a partir de diferentes disciplinas para a interpretação deste paradoxo através de uma proposta científica cujo nome se configurou como “Come que te Curas”.

Camponeses carregando abóbora em Tunja, Boyacá, Colômbia

Come que te curas” surge como uma necessidade de contribuir para a solução dos problemas ambientais relacionados à alimentação, nutrição e saúde. O objetivo principal é analisar e interpretar, sob diferentes pontos de vista (biológico, antropológico, histórico, médico, químico, artístico, entre outros), a complexidade da cultura alimentar das populações rurais do estado de Boyacá. Para isso, propõe-se a realização de uma expedição científica por parte do estado, que deixará como resultado informações substanciais que permitirão propor estratégias de apropriação social do conhecimento e enriquecimento da autonomia nutricional e mitigação-prevenção das doenças relacionadas com a má alimentação.

Capa do folheto «Come que curas» (espanhol)

Esta expedição iniciará o seu curso durante o segundo semestre de 2021 no município de Pauna (Boyacá), um território complexo e biodiverso com um grande contraste social e natural e será liderada pelo Instituto de Investigação Científica - Inicien, da Fundação Universitária Juan de Castellanos.

Para saber mais sobre o projeto e colaborar conosco, acesse: https://issuu.com/maorastablue/docs/brochure_come_que_te_curas_f5642bef1e9593

Isso foi útil?

Para mais informações:

  1. Gobernación de Boyacá. Ordenamiento territorial departamental de Boyacá. Productividad sector Agropecuario. Tunja; 2018.
  2. ENSIN, Minisalud, Nacional U, Familiar B, Salud IN de. Encuesta National Survey of the Nutritional Situation-ENSIN 2015. Ensin [Internet]. 2015;56. Available from: https://www.icbf.gov.co/sites/default/files/ensin_2015_final.pdf
  3. Secretaría de salud de Boyacá, Gobernación de Boyacá. Análisis de la situación de salud con el modelo de los determinantes sociales de salud, Departamento de Boyacá 2019 [Internet]. 2019 [cited 2020 Oct 6]. Available from: https://www.boyaca.gov.co/SecSalud/images/Documentos/asis2019/asis_dep_boyaca_2019.pdf
  4. FAO, OMS. Dietas saludables sostenibles [Internet]. Dietas saludables sostenibles. Roma; 2020 [cited 2021 Apr 19]. 44 p. Available from: https://doi.org/10.4060/ca6640es.


library_booksVersão PDF



event_available Lançamentos

alarm_onNotificações

expand_more bookmark_border Favoritos
"