Rios que voam sobre nós: uma das glórias da Amazônia

folder_special

Os Rios Voadores sustentam diversos ecossistemas de vários países da América do Sul. Prestam enormes serviços ambientais como o abastecimento de reservatórios e hidrelétricas, além do fornecimento da maior parte da água que fomenta as cadeias produtivas associadas à agricultura e pecuária.


share Compartilhar expand_more

Você já ouviu falar nos chamados Rios Voadores? No início pode até parecer estranho, porém trata-se de um fenômeno climático no qual há a formação de uma imensa massa de ar úmido sobre a Amazônia que leva chuvas abundantes para vários países da América Latina. Na altura da Linha do Equador, as altas temperaturas provocam uma elevada taxa de evaporação das águas do Oceano Atlântico. Os ventos alísios (que sopram no sentido leste a oeste) conduzem o vapor de água em direção ao continente, especialmente no território brasileiro, promovendo chuvas sobre a floresta amazônica. 

Globo Ecologia

Grande parte da água que infiltra no solo, é reabsorvida pelas raízes das árvores da floresta que, por sua vez, transpiram em conjunto uma imensa massa de vapor de água, os chamados Rios Voadores. Para se ter uma ideia, cada árvore de grande porte da floresta pode lançar diariamente na atmosfera aproximadamente 1000 litros de água. A floresta como um todo, chega a formar por dia uma massa de ar de 20 trilhões de litros de água! É uma quantidade superior à descarga fluvial do próprio Rio Amazonas.

Os Rios Voadores continuam a se deslocar em direção à Cordilheira dos Andes. Nela, parte da precipitação aprovisiona as cabeceiras dos rios da Amazônia, ao passo que uma grande massa úmida é desviada em direção ao Centro-Sul do continente sul-Americano. Em seu trajeto, os Rios Voadores levam chuvas abundantes, especialmente, às regiões Sul e Sudeste do Brasil e a outros países fronteiriços, como Paraguai e Argentina. Por este motivo, o Brasil é um campeão quando o assunto são as chuvas, ficando muito a frente quando comparado a outros países com grandes territórios como Rússia, EUA, China e Canadá. Ao longo da jornada, os Rios Voadores sustentam diversos ecossistemas e prestam enormes serviços ambientais como o abastecimento de reservatórios e hidrelétricas, e o fornecimento da maior parte da água que fomenta as cadeias produtivas associadas à agricultura e pecuária. Estes, por sua vez, são setores da economia com destaque mundial e que perfazem uma grande fatia do PIB brasileiro. Ademais, este é um belo exemplo do que se espera sob a perspectiva da sustentabilidade, cujas prerrogativas são fundamentadas em três pilares: o meio ambiente que é essencial para o desenvolvimento econômico que, por sua vez, gera benefícios para a sociedade.

Contudo, uma simples análise dos índices de desmatamento na Amazônia nos últimos anos revela um cenário preocupante. Do ano de 2005 a 2012, as políticas ambientais adotadas promoveram uma queda relevante nas taxas de desmatamento da Amazônia. A partir de 2012, as flexibilizações que acompanharam a aprovação do novo Código Florestal Brasileiro e outros problemas relacionados à fiscalização do desmatamento ilegal têm agravado a situação. O ano de 2018 ficará marcado por um desmatamento recorde no Brasil – o maior da última década. Dados recentes do Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia) mostram que, somente entre agosto de 2017 a julho de 2018, houve a perda de 4.221 km² de floresta, o que, em termos mais simples, equivale à área de mais de 591.000 campos de futebol. 

Vídeo: Pesquisa Fapesp

Talvez você esteja se perguntando agora: o que eu posso fazer com essas informações? Veja bem, o desmatamento resulta da ação de inúmeros agentes (legais ou ilegais), como a exploração de madeira, grilagem de terras, atividades de mineração e expansão da fronteira agropecuária. Dessa forma, é preciso se atentar a todos os movimentos, sejam eles de ordem política ou não, que promovam a facilitação destas atividades na Amazônia. Já sabemos que áreas demarcadas, como as Unidades de Conservação e as terras indígenas, já são, por si só, um freio para o avanço das fronteiras do desmatamento. Isto significa que a sua manutenção e conservação são ações primordiais. Além disso, é absolutamente necessário o fortalecimento – não o enfraquecimento – de órgãos de fiscalização, como o IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e instituições de pesquisa que contribuem solidamente para o monitoramento e ampliação do conhecimento acerca da dinâmica dos processos ambientais. Estes setores não só fazem parte da sociedade, como também precisam do apoio dela.

Ora, se a própria economia é altamente dependente das chuvas que acompanham os Rios Voadores, não seria incoerente achar que a preservação da floresta amazônica é um freio para o desenvolvimento econômico? Pense nisso!

Antonio Donato Nobre / Vídeo: TEDxAmazonia

Mais informações:

  1. Projeto Rios Voadores. Disponível em: http://riosvoadores.com.br/
  2. Rios Voadores da Amazônia - sem floresta não tem água. Disponível em: https://youtu.be/0Mwo5PVB0ro
  3. Desmatamento Amazônico Antonio Nobre. Disponível em: https://youtu.be/d9OKveO_ego
  4. Los "ríos voladores". Disponível em: https://youtu.be/S_SxDBRMkGo
  5. Qué son los "ríos voladores" de Sudamérica que llevan por aire tanta agua como el Amazonas. Disponível em: https://www.bbc.com/mundo/noticias-41038097
  6. Secreto de la Amazonía N°4: Los Ríos Voladores. Disponível em: https://youtu.be/8UoPrSKwuAU
  7. INPE registra 6.947 km2 de desmatamento na Amazônia em 2017. Disponível em: http://www.obt.inpe.br/OBT/noticias/inpe-registra-6-947-km2-de-desmatamento-na-amazonia-em-2017
  8. Fonseca, A., Salomão, R., Ribeiro, J., & Souza Jr., C. 2018. Ameaça e pressão de desmatamento em Áreas Protegidas: SAD agosto de 2017 a julho de 2018. (p. 2). Belém: Imazon.
  9. Código Florestal Brasileiro. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12651.htm  
  10. Os rios voadores, a Amazônia e o clima brasileiro. Disponível em: http://riosvoadores.com.br/wp-content/uploads/sites/5/2015/04/Caderno-Professor-Rios-Voadores-2015-INTERNETppp.pdf
  11. Amazons Invisible Flying Rivers. Disponível em: https://youtu.be/Iv7AUoheeQs
  12. Flying Rivers - (Rivers Volants) Most Amazing And Unusual Weather Phenomena.  Disponível em: https://youtu.be/emdlvurJRPI
  13. Flying Rivers.  Disponível em: https://youtu.be/jT0FgvjRthY
  14. The Largest River On Earth Is In The Sky. Disponível em: https://youtu.be/VGurBZ0b6nI

Foto

logo Rosa M. Dias
Editora Econotícias [ES]
Editora Econoticias [PT]

Revista Bioika

Rosa

email econoticias@revistabioika.org

Bióloga com Doutorado em Ecologia pela Universidade Estadual de Maringá (PEA/UEM). Considero que só através da socialização do conhecimento poderemos alcançar uma sociedade mais justa. Tenho grandes e diversos sonhos! Um deles é acreditar que a educação amplia as almas e recria os horizontes; é a alavanca das mudanças sociais!

Foto

logo Raffael M. Tófoli
Editor Palabra de Especialista [ES]
Editor Palavra de Especialista [PT]

Revista Bioika

Raffael

email especialista@revistabioika.org

Biólogo e professor. As atividades de pesquisa e docência fortalecem, a cada dia mais, meu ímpeto por uma educação mais inclusiva e de maior qualidade.

Foto

Ángela L. Gutiérrez C.
Editora Ecoando
Revista Bioika

Ángela

email ecoando@revistabioika.org

De acordo com minha formação na educação pública, acredito na necessidade de fazer acessível para todos, os resultados das pesquisas científicas. O que é feito? Para que serve? Como posso contribuir? Acredito que o trabalho multidisciplinar é a chave para propor soluções que possam gerar uma sociedade justa, sustentável e igualitária.

Foto

logo Alfonso Pineda
Asistente Editorial [ES]
Revista Bioika

Alfonso

email alfonso.pineda@revistabioika.org

Sou biólogo colombiano, finalizando doutorado no Brasil. Acredito que qualquer uma das áreas do conhecimento pode contribuir para a melhoria da vida dos demais, e que a educação é uma ferramenta poderosa. Além disso, acredito que o acesso a informação permite às pessoas maior protagonismo social.


library_books Versão PDF


Você tem algo a dizer? Comente!

As opiniões registradas aqui pertencem aos internautas e podem não refletir a opinião da Revista Bioika. Este é um espaço aberto para a manifestação da opinião dos leitores, porém nos reservamos ao direito de remover os comentários que sejam considerados inadequados. Obrigado pela sua participação!


event_available Lançamentos

loyaltyInscreva-se


Origem da Revista Bioika